Uma carta para meu eu de 10 anos atrás…

Garota, presta bem atenção no que eu vou te dizer – presta mesmo porque eu sou dez anos mais velha que você e isso é muita coisa. Você aí, com esses 11 anos lindos, nessa época não tão linda da vida, na sexta série de um colégio que você não gosta, cheio de pessoas que você não gosta; vê só, relaxa. Tudo que vier pela frente vai servir tanto pra definir o que você vai se tornar, quanto pra definir o que você definitivamente não vai se tornar.

Leva esse hábito de estudar escrevendo pro resto da vida, vai te servir muito, e guarda tuas agendas – aquelas da CEF, que você pega do pai -, vai ser o máximo lê-las aos 21 anos, principalmente as averbações com letras de músicas que você vai gostar até o futuro. Aproveite esse tempo pra se especificar em alguma coisa, vá escrever, ou fazer aula de piano, ou jogar xadrez e competir, vá e faça, e termine de fazer. É o conselho mais importante de todos: se começar alguma coisa, termine. No futuro, se não fizer isso, vai pesar. Mas também acredite que sempre é tempo de começar e terminar as coisas, os projetos.

Você vai sofrer um bocadinho por quem não merece, mas essa é a vida e são as experiências que forjam quem você vai se tornar. Seu escudo vai ser bem forte, pode ter certeza, e pra ele baixar, vai dar trabalho. Acho que essa é uma das coisas boas de sofrer, você acaba amadurecendo e endurecendo um pouco também, e é saudável, vai preparar você pra hora certa do escudo descer e você enfrentar de outro jeito as emoções da vida. Vai valer tanto a pena!

Outra coisa, saia mais de casa. Vá andar por aí, eu sei que você vai viajar bastante, aproveite cada segundo (leb die Sekunde! Em alguns anos, essa frase vai fazer todo sentido), descubra o mundo. Se puder, viaje pelo Rotary, antes de acabar a escola (eu sei que isso não vai acontecer, mas é um bom conselho ainda assim).

Tente não odiar a faculdade e as pessoas que nela estudam. Eu sei que vai ser incrivelmente difícil (você vai ver os tipos que vão aparecer por lá, lamentável…), mas você vai tentar e vai conseguir tirar boas pessoas daquele ambiente, até o homem da sua vida! Então, por cinco anos, tente aguentar, estude mesmo, tire leite de pedra daquele lugar!

Por fim, ame. Ame e se expresse como sempre fez, e nunca deixe que NADA suprima a necessidade e a capacidade que você tem de se expressar, de todas as formas artísticas possíveis.

Projeto Fotográfico: Das partes que fazem o todo

O post de hoje é especial. Por dois motivos:

1. É uma ótima oportunidade de estimular minha criatividade, que, vamo combinar, tava me deixando na mão nos últimos tempos.

2. É a minha estreia no Rotaroots, um grupo de blogueiros cuja intenção é retomar a blogagem de raiz, sem todo aquele mimimi de regras, blogagem como meio de se expressar livremente. Obviamente eu amei a ideia e me empolguei em participar, vagueio por esse universo blogosférico há anos sem nunca ter realmente me dedicado a ele, mas sinto que é o meu lugar de extravasar o meu “eu”, o que nos leva ao tema de hoje: Das partes que fazem o todo, ou seja, do que eu sou feita, o que me inspira e me faz ser quem eu sou, e, o melhor: tudo registrado em fotos!!

 

  • Maquiagem: uma das mais interessantes e versáteis formas de expressão que uma pessoa pode utilizar (apenas lembrando que: #stopthebeautymadness, maquiagem é pra ser diversão, não obrigação!), amo! ♥
  • Berlim: a cidade onde fiz intercâmbio e para onde quero voltar com urgência! Melhor cidade do mundo!
  • Música: é o remédio pra alma, para todos os humores, a companhia de todas as horas.
  • Livros: o hábito da leitura me acompanha desde a mais tenra idade e, se depender de mim, minha biblioteca será maior que o meu quarto! ♥
  • Meu homi ♥ : aí é o clichê mais lindo que existe, minha metade da laranja! ♥♥♥♥♥♥♥♥♥
  • Fotografia: mãe fotógrafa e filha um tanto narcisista, gosto de fotografar e gosto de autorretratos (saudades hífen), que o diga meu instagram e suas mais de mil fotos.

P.S.: ESSA LISTA NÃO ESTÁ EM ORDEM DE PREFERÊNCIA. 


 

Este post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots, um grupo com intuito de reunir blogueiros “de raiz”, que escreviam por diversão e amor aos diários virtuais. ♥